segunda-feira, 1 de setembro de 2008

GOG Comenta batalha de Free Style / Preconceito Regional

Salve Du,

O tema que vc abordou é muito interessante e eu já havia percebido.
Nos idos de 2003 eu e o Flagrante do Realidade Cruel conversávamos sobre esse assunto e ele falou uma coisa interessante:
"- No freestyle falam o que querem, rapidamente, muitas vezes sem medir as palavras, mas na favela é diferente: Tem que pensar muito antes de falar, de agir.."
Na sequência eu disse para ele: Irmão esse é o Movimento Rap, que vende o artístico, e deixa de lado o debate sério. Nós somos do Movimento Hip Hop, e nossa origem, embora próxima, é diferente.
Hoje anos depois, percebo que muito pouca coisa mudou e que esse estilo, com raras excecões continua sem medir as consequências, pariorizando apenas a levada e a plástica.
Concluindo irmão, tal fato eleva ainda mais a responsabilidade do movimento hip hop em trabalhar temas, levantar discussões, ir a campo e conversar com nosso povo olho no olho.

Forte abraco, esse foi um bom tema e taí minha sincera opinião.


Com respeito,

GOG!

4 comentários:

thiago disse...

açado, pararam de postar por que? depois de dizerem que o dú não entende nada da cultura hip hop, acho que depois desses comentários de contatos do dú pararam, mas e a razão, o foda é até a zulu nation brasil tá a par do assunto, vamu ve quem não entende nada agora.......
thimp revolution now!!!!!!!!!!

Dinha disse...

E ae tru! Na verdade eu não queria entrar nesse debate, porque leva
muito pano para manga e não diz muita coisa. Mas como sou mc e faço
freestyle também, acredito o que anda acontecendo é que muitos rappers
na procura de ser engraçado e cheio de valores do inimigo enrrustido
no subconsciente , acaba rimando asneira para aparecer. Esses nem
percebem o sistema, ainda mais porque todos nós temos que matar os
valores negativos do opressor dias após dias, não podemos ignorar que
nascemos no sistema e procuramos o transformar, muitas coisas que
discutimos hoje é muito recente, o Brasil é um pais de valores
racistas e preconceituosos contra: mulher, portador de deficiente,
homossexual, lesbica, preta, idoso, migrante, pobre entre tantos
outros.
Veja que um barato que o hip hop fez na sociedade brasileira, logo
após a tal ditadura, foi oferecer a mim e diversas pessoas a auto
estima, que com tempo descobrimos a nossa identidade. Ela não era
oferecida nós pelos livros e sistema de comunicação e educação.
Participando do hip hop soubemos que não éramos burros, filhos de
baianos, pião,favelados e maloqueiros.
Esses sim, são valores oferecidos por quem quer dirigir nossas vidas ,
e não querem que temos autonomia de guia-las como queremos.
Ae com o tempo a palavra periferia que tinha um significado positivo
para nós, tornou-se Cult seja lá o que falam, algo vazio , trataram
como uma palavra moderna, a dissociando do seu significado, que
continua ser concreto em localidades distantes do centros financeiros.
E muitos da classe media desconhecem, esses se auto intitulam filhos
de europeus.
Ae como tempo muitos resolveram a fazer o rap que eles queriam ouvir,
domesticando o mc, através de coisas supérfluas.
Também os jovens que faziam rap viram homens e mulheres, e tiveram que
sustentar seus filhos e então acreditaram que ganhariam grana com
rima. Mas para resumir , o nosso protesto continua, mas infelizmente
muitos andam chamando de rappers bons , caras que não entendem o
porquê o hip hop é importante. Além que para mim o hip hop é livre e
cada um o faz do jeito que quer, mas como o barato vem das ruas, você
tem que pagar o preço do que faz.
E o som que continuamos a fazer nas periferia vocês não querem ouvir.
Diga me algum rapper de São Paulo reconhecido por vocês, muitos acham
que só existe Racionais, Thaide, Rappin Hood, não tirando os irmãos
porque o que eles conseguiram foi com suor e valor. Mas estou cansado
de ouvir pessoas procurando no que fazemos, para resumir , o hip hop
reflete a sociedade que ele está inserido. Então a culpa não é do hip
hop e de quem quer o calar, desvalorizar, não tocar, não compreender,
não pagar o cd, não contratar entre outras coisas. E como eu disse ,
esse assunto daria muito pano para manga, e existem mil coisas para
serem analisadas. Só que uma coisa ninguém pode tirar, as pessoas que
fazem hip hop são fodas, por causa de suas origens e superações . .

Dinha disse...

RAPER PIRATA disse...

O comentário postado acima é do RAPER PIRATA

Bastian disse...

Concordo com tudo q foi dito por as pessoas q sabem oq falam e tem comprometimento com o HIP HOP....espero q esse debate tenha servido pra deixar claro q o RAP não é viajem,nunca foi,e nunca vai ser.Mcs que querem aparecer é oq mais tem hj em dia,pórem há aqueles q amam o HIP HOP como é o meu caso,e esse comentario não é pra quem quer fazer sensacionalismo, é para aqueles que acreditam q o HIP HOP é a voz da periferia...aqueles q acreditam q o HIP HOP pode mudar a mente de quem ouve...Freestyle é uma arte assim como o Repente e a Embolada,então vamos fazer nossa arte sem fazer apologia,sem ofender a ninguem,sem desvalorizar cultura alguma,porq o freestyle é uma maneira pratica de expor nossos pensamentos em determinados momentos e situações sempre com a responsabilidade de transmitir uma mensagem positiva q entre pelos ouvidos de quem ouve e se fixe na mente de tal individuo,então não é porq meia duzia de PIMPs falam besteira que vamos questionar o valor e finalidade do freestyle.
A cultura HIP HOP não tem culpa alguma q existem maus mcs,se alguem é responsavel por isso,esse responsavel chama-se MIDIA porque ela ilude essa mulekada q ta chegando agora na cultura,a mulekada q pensa q ser mc é só rimar falando da namorada ou então de suas roupas,gente q ve os clipes do 50 cent e acha q aquilo é Rap.Então galera deixo o seguinte recado se quer revolucionar alguma coisa,começe revolucionando a própria vida e os próprios pensamentos, afinal RAP É COMPROMISSO.



Paulo Henrique(Rick) responsavel e Idealizador do Vivendo e Improvisando...não sou nenhum expert em HIP HOP,mais o pouco q sei é suficiente pra não falar besteira no microfone ou rimando na rua.
Salve o verdadeiro HIP HOP...aquele q nasceu nas ruas e continua lá.